Título: Entre 3 Mundos #1;
Autor(a): Lavínia Rocha;
Editora: D'Plácido;
Número de Páginas: 224;
Ano de Lançamento: 2015.
Livro no Skoob

 Foto:
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Há algumas décadas, o Brasil vivia intensos conflitos entre pessoas normais e pessoas com dons extraordinários. Visando a paz no país, as autoridades o dividiram em dois territórios – o do Norte e o do Sul – e assinaram um contrato proibindo a migração de uma região para a outra.
Alisa é de uma família do Norte, mas foi identificada como pertencente ao Sul e precisa esconder a verdade de ambos os mundos. Além de quebrar o contrato toda semana para visitar seus pais, Alisa enfrenta problemas comuns da adolescência: acha seu próprio nome bizarro, gosta do cara errado e é a única pessoa que não percebe o quanto seu melhor amigo é apaixonado por ela.
A vida de Lisa (como prefere ser chamada) se transforma completamente com um grande acontecimento no colégio e, agora, ela se vê diante de um desafio envolvido pela descoberta do amor e da sua verdadeira identidade.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Minha Opinião:

Resenha escrita por mim e originalmente publicada no blog A Colecionadora de Histórias.

Há algumas décadas, o Brasil vivia um clima de tensão ocasionado pelos conflitos entre as pessoas normais e aquelas que possuíam dons especiais. Visando alcançar a paz entre esses grupos tão distintos, o país acabou por ser divido em Norte e Sul. Alisa morava no Norte, em meio às pessoas comuns, até que sua vida foi mudada radical e inesperadamente com a visita da diretora de um dos colégios do Sul, que revelou que a garota, na verdade, tinha dons e, portanto, deveria integrar ao Sul do país, onde quem os possuía vivia. Seus pais relutaram na decisão, mas simplesmente não houve opções, de forma que a garota passou a transitar entre os dois mundos desde então. Acabou descobrindo, felizmente, que a imagem que o Norte tinha de quem vivia no Sul, de serem pessoas ruins e perigosas devido a presença de seus dons, não passava de um simples preconceito que logo caiu por terra à medida que a garota fez amigos e se viu realmente parte daquele novo mundo, ainda que uma parte de seu coração fosse sempre estar com a família no Sul. Agora, aos quinze anos, Alisa e seus amigos estão prestes a ingressar ao ensino médio e, portanto, enfim, realizarem a cerimônia oficial para receber seus personagens e, com eles, seus dons. Mas um inconveniente inusitado com a caixa da personagem de Alisa começa a gerar dúvidas na direção da escola, e, na busca por encontrar sua real identidade como sulista, ela e seus amigos acabam em uma aventura que eles não podiam imaginar ser capazes de encarar.

Foi no ano passado, em 2016, que tive a oportunidade de conhecer a escrita de Lavínia Rocha através do livro único De Olhos Fechados, e ainda que com algumas breves ressalvas gerais, havia gostado muito da leitura e queria continuar a ler mais livros seus. Felizmente, mais uma oportunidade surgiu, dessa vez através do blog A Colecionadora de Histórias, da Carol Cristina, e, enfim, pude conferir o primeiro volume da então trilogia da autora, Entre 3 Mundos, que dá início à história de Alisa e seus amigos em um Brasil dotado de fantasia e dons extraordinários. O início da leitura dá-se em um ritmo leve e visivelmente lento enquanto somos apresentados à protagonista e seus amigos, então nosso elenco principal. Não demora, porém, até que a narrativa engrene mais, no decorrer dos preparativos para a cerimônia onde cada jovem do fundamental irá passar para o primeiro ano e ganhar, enfim, seu personagem e dom mágico. Nesse momento, começamos a perceber o visível cuidado e criatividade da autora em desenvolver todo um mundo que, ainda que no nosso próprio Brasil, consegue ser tão diferente e ter nuances tão próprias, seja ele o Norte, o Sul ou mesmo o mundo mágico que resguarda os personagens de cada aluno do Colégio Ruit.

“Aos seis anos, me tiraram do mundo normal e agora, aos quinze, estavam tentando me tirar do meio-mágico também. Ser uma anormalidade em ambos os lugares me deixava sem saber aonde deveria ir para buscar qualquer refúgio.”

É um enredo tipicamente infanto-juvenil, mas não menos bem desenvolvido e, principalmente, cativante. Os personagens conquistam o leitor com uma naturalidade singular com a qual muito me agradei, e me identifiquei com um traço ou outro de diversos deles. A começar por ela, nossa protagonista, Alisa Febrero, no auge dos seus quinze anos, acostumada desde pequena a viver no limbo entre o mundo meio-mágico do Sul e o mundo comum do Norte. Tem uma personalidade visivelmente tranquila e bem humorada, ainda que seja eventualmente impaciente e desastrada. É também uma amiga muito dedicada e atenciosa, e, por mais difícil que seja se ver longe da família por tanto tempo, com visitas apenas nas férias e fins de semana, ela deixa claro que não trocaria a vida que tem no Ruit, uma vez que as amizades conquistadas lá são igualmente importantes e essenciais para ela, e a recíproca é verdadeira por parte de seus amigos. Dan, em especial, então melhor amigo de Alisa desde sua chegada no Ruit, tantos anos atrás; ambos contam mutuamente um com o outro para o que der e vier, numa relação tão linda e sincera que muito me encantou, além, claro, da personalidade propriamente amável, gentil, atenciosa e companheira do garoto, que tem a garota muito mais do que uma simples amiga, ainda que ela o veja apenas como o melhor amigo de sempre.

“— E por que não usam magia o tempo todo? Eu sempre imaginei o mundo mágico assim...
— Porque nós devemos dominar a magia e não ela nos dominar. Inteligência é poder, se tu utilizas tuas habilidades mágicas para fazer tua tarefa, eventualmente tu não saberás mais fazê-la, daí teu dom se torna superior a ti, como se ele pudesse mais do que tu podes.”

Os amigos da dupla também são uma verdadeira diversão e alto-astral durante a leitura. Igualmente amigos, companheiros, sinceros e dedicados, Nina, Marco e Sol completam o grupo principal do elenco de Entre 3 Mundos com tamanho carisma que, mesmo a Sol, avoada e medrosa que é em alguns momentos, cativa o leitor e nos faz sentir como parte da turma. E somando isso à narrativa quase mágica e o enredo cheio da mais pura imaginação da autora, não demora muito até que a leitura avance e comecemos a nos sentir, inclusive, dentro do próprio universo da trilogia. Isso tudo, até então, no mundo real da trama, até que temos a oportunidade de adentrar sem querer ao mundo mágico ou glorioso, como os então habitantes dele chamam, juntamente com os personagens, e nos deixar envolver mais ainda pela narrativa, agora, em busca de respostas por descobrir não apenas quem é a personagem de Alisa como, ainda, buscar respostas para uma série de novas questões em meio a revelações inesperadas que estão só começando a aparecer.

Assim, é com maestria que Lavínia Rocha dá início à trilogia Entre 3 Mundos, com um primeiro volume que, ainda que uma introdução, consegue envolver o leitor com muita intensidade e realidade por entre personagens cada vez mais carismáticos e mistérios instigantes e inéditos por serem desvendados junto com eles. Mais do que uma simples fantasia, Entre 3 Mundos é como uma aventura em meio aos contos de fadas, só que em um cenário mais moderno e brasileiro que muito encanta e surpreende, e para o qual mal posso esperar para retornar na leitura da sequência assim que possível e continuar a acompanhar a aventura de Alisa e seus amigos. 

Deixe um comentário

Obrigada por ler o post!
- - - - - - - - - - - - - - - - - -
ATENÇÃO:
- Não use vocabulário impróprio;
- Não aceito Tags e Selinhos;
- Não aceito comentários que não tem nada a ver com o post.
* Comentários assim serão devidamente excluídos e eu não retribuirei visita.
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Deixe o link do seu blog no final do comment para que eu possa retribuir a visita. :)

Bjos...