Título: Play With Me;
Subtítulo: Grover Beach Team #1;
Autor(a): Anna Katmore;
Editora: Amazon (Publicação Independente);
Número de Páginas: 236;
Ano de Lançamento: 2012.
Livro no Skoob

Foto:
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

As festas de Ryan Hunter são uma verdadeira lenda, e naquela noite ela estará em uma delas.
Liza Matthews aguarda o retorno de seu melhor amigo e amor de infância do acampamento de futebol. Mas quando Tony chega, sua atenção está voltada à outra garota. E pior, ela é uma jogadora de futebol. Lutando por conquistar sua atenção, enfim, Liza está a apenas um passo de tomar uma decisão estúpida. E quando situações extraordinárias pedem medidas extremas, ela está disposta a entrar no jogo em prol de seu amor.
As tentativas são frustradas, a primeira delas resultando em um machucado, e na manhã seguinte à mais uma das lendárias festas de Ryan Hunter, ela se vê acordando no pior lugar possível - nos braços do capitão do time de futebol, também conhecido como o cara mais popular do colégio, o próprio Ryan.

Sinopse traduzida e adaptada por mim do Inglês.
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Minha Opinião:

Quem acompanha o blog já há alguns anos deve saber que eu leio em Inglês e que mesmo já fiz algumas resenhas de livros lidos no idioma por aqui, mas desde 2015 eu não havia lido mais nada no idioma e estava sentindo uma grande falta durante todo esse tempo. Até que, então, dona Amazon resolveu fazer uma promoção no mês de Março desse ano, disponibilizando um cupom de dez reais para adquirir exclusivamente títulos em Inglês, e aqueles que estivessem com preço abaixo do cupom, saíam basicamente de graça. Como podia ser utilizado várias vezes em diversos livros diferentes, acabei fazendo a festa e selecionando títulos que descobri por acaso e acabaram chamando minha atenção de alguma forma. Vocês saberão minhas impressões sobre o primeiro lido deles, Play With Me, de Anna Katmore, a seguir.

Liza Matthews é uma adolescente de dezesseis anos que começa o livro aguardando a chegada de seu melhor amigo, Tony, que passou as férias em um acampamento de futebol. Ela intenta, enfim, declarar-se para o rapaz, mas quando o reencontra percebe que ele já não está tão focado 100% nela como antes, e ela logo descobre que ele já tem os olhos voltados para uma outra garota, conhecida durante o acampamento, minando as chances de Liza em declarar-se. Mas a protagonista não está disposta a perdê-lo tão facilmente, e acaba participando da seleção para o time de futebol, espantosamente passando nela também. Só que o golpe de sorte que a faz passar exigirá, mesmo assim, que ela aprenda ao menos o básico do esporte, e após uma situação estranha passada na festa da lenda escolar Ryan Hunter, o próprio acaba virando seu treinador.

“‘Are you mad at me?’
‘No,’ I grumbled.
He waited a second, eying me with skepticism. ‘Okay. Is this one of those moments where you say no but actually mean yes?’’

Olhando assim por cima, é uma premissa realmente básica e clichê, de forma que eu já imaginava como terminaria antes mesmo de chegar ao capítulo quatro, mas, apesar disso, foi um enredo despretensioso na medida certa do que eu estava procurando quando o li, além de ser uma leitura naturalmente fluída pelo ponto de vista da mocinha, Liza. Ainda que seja em Inglês e já tenha feito um bom tempo desde a última leitura que fiz no idioma antes dessa, a narrativa seguiu-se leve e num nível de Inglês que eu diria tranquilo principalmente para quem está começando a ler no idioma. Não é uma história muito extensa, e os personagens, apesar de não serem exatamente marcantes, são bons.

“Because he was a wonderful lift for my mood. He made me forget. He made me smile.”

Começando pela própria Liza, uma garota um tanto ingênua e impulsiva em alguns momentos, um pouco sonhadora em outros, e uma adolescente com a qual eu mesma me identifiquei em alguns pontos, principalmente por ser um tanto estabanada no quesito esportes. Tony, então descrito como seu melhor amigo, é um personagem igualmente legal, mas que teve lá algumas baixas para mim de vez em quando por se deixar ignorar a amiga de forma tão irritante em alguns momentos, preferindo mais uma garota que recém-conheceu àquela que sempre fora sua amiga. No final ele até consegue se redimir um pouco, mas as primeiras cenas do rapaz o fizeram ser facilmente apagado pela presença mais ativa de Ryan Hunter. Não por ele ser aparentemente o popular do colégio e nem muito menos por suas festas incríveis, mas porque ele acaba prestando mais atenção e dando apoio à Liza de forma que o Tony deveria ter feito mas não fez. Após isso, naturalmente Ryan vem a conquistar ainda mais lugar no enredo e tornar-se o mocinho que Liza definitivamente não esperava que ele pudesse ser, apesar do seu jeitão meio despreocupado e quase de superioridade, mas sem exageros. 

O interessante, e que só dei mais atenção durante à leitura, é que Play With Me é o primeiro de uma série, intitulada Grover Beach Team. O segundo livro é como se fosse uma sequência direta desse primeiro, contado pelo ponto de vista do Ryan Hunter e levando o nome do personagem como título também, além de ter mais quatro livros distribuídos entre outros personagens do grupo de amigos de Liza e Ryan como protagonistas de suas próprias histórias também. Sendo sincera, não sei se tenho vontade de continuar a série, apesar de já ter o segundo em e-book para caso venha a surgir vontade de lê-lo também, mas Play With Me é basicamente uma história clichê e leve que se fecha bem em um único volume, e que, mesmo que não seja inovadora nem nada do tipo, é uma leitura gostosa e envolvente que vale a pena para ser feita quando se quer algo longe dos dramas mais densos da literatura. Recomendo sim! 

Deixe um comentário

Obrigada por ler o post!
- - - - - - - - - - - - - - - - - -
ATENÇÃO:
- Não use vocabulário impróprio;
- Não aceito Tags e Selinhos;
- Não aceito comentários que não tem nada a ver com o post.
* Comentários assim serão devidamente excluídos e eu não retribuirei visita.
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Deixe o link do seu blog no final do comment para que eu possa retribuir a visita. :)

Bjos...